CENTRAL RODOVIÁRIA, RIO MAIOR

A Central Rodoviária de Rio Maior destaca-se de um conjunto de intervenções propostas no âmbito das infraestruturas de transportes enunciadas no Relatório Síntese do Plano Diretor Municipal e no Plano Estratégico da cidade.
A Central Rodoviária de Rio Maior caracteriza-se por uma lâmina de betão branco de grande intensidade plástica que desdobrando-se sobre si própria configura tanto o chão, como o teto do edifício.
A transparência deste equipamento infraestrutural, revela no seu interior uma caixa revestida a painéis de madeira. O edifício funciona como uma plataforma, em torno da qual circulam os autocarros, estacionando nos parques que interceptam a pala exterior do edifício.
A envolvente dinâmica da cidade espelha-se nos vidros da Central Rodoviária, ao mesmo tempo que através do seu interior é possível vislumbrar a envolvente verde e desportiva existente no coração de Rio Maior. 
Apesar do seu arrojo formal, o edifício é delicado e sóbrio, assumindo-se como átrio de chegada à cidade, dialogando com a Av. Mário Soares (circular urbana) e com a antiga fábrica de briquetes da Mina do Espadanal, assinalada pela esguia chaminé que irrompe o pinhal.

Promotor  Câmara Municipal de Rio Maior
Arquitetura  Paulo Tormenta Pinto
Colaboração  Andreia Morais, Nuno Monteiro, Luís Miranda e Rodolfo Gomes
Consultor Urbanismo Leonel Fadigas
Estrutura  Mário Leitão/Sampriz, Lda.
Águas e Esgotos  Francisco Alvim
Eletricidade e Telecomunicações  Rui Silva e Santos, Miguel Leitão/EPETE, Lda.
AVAC  Isabel Martins/EPETE, Lda.
Segurança  António Portugal
Projeto/Construção  2000 / 2008
Empresa Construtora  CONDOP, SA
Diretor de Obra  Eduardo Cunha
Fiscalização  Álvaro Samora
Localização  Rio Maior
Fotografias  FG+SG