HOUSE IN SANTA ISABEL, LISBON

MIES VAN DER ROHE NOMINATION

A Avenida Infante Santo localiza-se na tangência do antigo Palácio das Necessidades, ligando o planalto, onde se situa a Basílica e o Jardim da Estrela, às margens do rio Tejo. Este amplo boulevard foi inaugurado, em 1949, na sequência do Plano Diretor de Lisboa, coordenado pelo urbanista russo-polaco Étienne de Gröer. O novo eixo, pensado como uma via circular no perímetro da cidade histórica, foi rasgado ao longo de uma topografia acidentada produzindo uma tábula-rasa do tecido urbano existente. Os arcos do antigo aqueduto setecentista também foram demolidos, criando espaços para as experiências de arquitetura do movimento moderno que marcaram Lisboa, desde a década de 1950.
A D-A Studio [Domitianus, Arquitetura, Lda] está integrada num edifício multifuncional, projetado por Miguel Pestana e Nuno Vieira da Fonseca, em 1964, no contexto do plano da nova avenida. O bloco de doze pisos abre-se para uma praça ajardinada, resultante da sua implantação no local. Uma arcada de duplo pé-direito caracteriza o nível de entrada do edifício, promovendo uma galeria com lojas e cafés. A D-A Studio está no primeiro nível desta galeria, abrindo-se para o entorno através de amplas janelas envidraçadas. No interior existe uma atmosfera peculiar resultante da luz suave filtrada pelo espaço das arcadas.
O projeto aproveitou essa circunstância, criando uma sequência de três gabinetes na faixa mais próxima das janelas. Uma estrutura envidraçada e deslizante de ferro e vidro, circunscreve e promove a transparência desses espaços, permitindo a continuidade da luz natural para o miolo do Ateliê, onde se localiza a área principal de trabalho.
No lado oposto, uma parede curva de madeira natural delimita o espaço. Este plano tectónico, que sugere uma abside, oculta as áreas funcionais – a copa, as instalações sanitárias e a arrecadação. A estrutura de betão armado original do edifício foi utilizada para suportar a grande mesa de trabalho que ocupa o open-space central do escritório. As superfícies dos pilares foram revestidas de azulejos, refletindo o brilho da luz e suavizando sua presença no meio do espaço. A neutralidade das superfícies acústicas do pavimento e do teto reforçam o contraste entre a temperatura fria dos azulejos e o aconchego quente da madeira, proporcionando diversidade na ambiência do espaço.
À noite o espaço é revelado para o exterior. A iluminação elétrica recria o efeito de raio-x, expondo a intimidade do escritório ao frenesim da Avenida.

 

 

Promotor D-A Studio – Domitianus, Arquitetura
Arquitetura
Paulo Tormenta Pinto e Rosa Maria Bastos
Carpintaria António Daniel
Serralharia Armindo
Construção Belmiro Teixeira
Redes Nuno Inácio
Fotografia Inês d’Orey